• ESG: Vínculo da transformação de TI com agilidade e inovação | Dell EMC EUA
    Documento ESG Research Insights

    Pesquisa comprova o vínculo contínuo
    da transformação da TI com a agilidade, a inovação e o retorno comercial

    Usando dados para identificar como atuam as organizações de TI transformadas e
    como elas estão promovendo a vantagem digital

    Por Adam DeMattia, diretor de pesquisa, John McKnight, vice-presidente de serviços de pesquisa e analista,
    Jennifer Gahm, gerente sênior de projetos e Monya Keane, analista sênior de pesquisa | Março de 2018

    Introdução

    A transformação da TI é o ato de modernizar e automatizar os sistemas e o software de tecnologia da informação de modo abrangente para melhorar as operações de TI e aprimorar os processos de negócios relevantes. Este é um grande desafio, mas pesquisas quantitativas mostram que vale o esforço para alcançar resultados reais.

    Este relatório apresenta as conclusões resultantes do estudo original do ESG com base em uma pesquisa com 4.000 responsáveis pelas decisões de TI em todo o mundo. Quando aplicável, ele inclui análises de tendências ano a ano com pesquisa semelhante feita no ano anterior (2017). Use as conclusões para comparar as competências de TI de sua empresa às daquelas que atingiram o status de “totalmente transformadas” e ter uma ideia clara do que foi conquistado.

    Você também pode fazer uma autoavaliação gratuita on-line da transformação da TI. Ela usa os mesmos dados para fornecer explicações detalhadas dos vários benchmarks e oferece recomendações personalizadas sobre onde você deve se concentrar com base no status de sua transformação. Avalie sua organização em relação às outras, encontre ideias para transformá-la ainda mais e posicione sua empresa à frente da concorrência.

    Visão geral do mercado

    A ideia de transformação da TI atrai muito mais a atenção das empresas agora do que há 12 meses. É claro que os executivos seniores veem a transformação como um fundamento estratégico. Quando o ESG perguntou aos entrevistados se eles concordavam ou não com a afirmação: “Se minha organização de TI não adotar a transformação da TI, não seremos uma empresa competitiva”, 81% concordaram. Trata-se de um aumento de 10% em relação a 2017.

    Como a “transformação da TI” difere da “transformação digital”

    A transformação da TI e transformação digital (outro termo do setor) parecem sinônimos, mas são muito diferentes. E o que é mais importante, uma não acontece sem a outra:

    • A transformação digital enfatiza a evolução para prosperar em uma economia digital, por exemplo, usando dispositivos inteligentes, sensores conectados e percepções orientadas por dados para inovar, superar em ideias e ultrapassar os concorrentes. A transformação digital se concentra em adotar mudanças e assumir o papel de inovador, e não de ultrapassado.

    • A transformação da TI se concentra na modernização da infraestrutura de tecnologia subjacente. A empresa se torna “mais transformada” ao superar sua dependência de tecnologias legadas rígidas, manuais e difíceis de manter. A transformação da TI proporciona velocidade, eficiência, escala e economia – automatizando tarefas manuais e simplificando operações para liberar recursos e impulsionar iniciativas de transformação digital.

    81% dos entrevistados concordam que se eles não aderirem à transformação da TI, suas empresas não serão competitivas. Trata-se de um aumento de 10% em relação a 2017.

    Resultados reais

    Independentemente do nível atual de transformação de sua TI, é vital entender o que outras empresas, líderes e retardatários estão priorizando (ou não), além dos resultados obtidos. Essas percepções ajudarão você a entender onde concentrar o primeiro ou o próximo passo de sua própria jornada rumo à transformação da TI.

    Você descobrirá que, se feitas corretamente, a modernização e a automatização de tecnologias, combinadas com uma dinâmica organizacional adequada, trarão resultados extremamente positivos (veja a Figura 1).

    Figura 1. Resultados da transformação da TI

    16X

    Maior nível
    de inovação

    icon-bug

    As organizações
    transformadas têm 16 vezes
    mais chances
    de ter iniciativas maduras
    de transformação digital em
    andamento

    2,5 vezes

    Competitividade
    aprimorada

    icon-bug

    As organizações
    transformadas têm 2,5 vezes
    mais chances de acreditar
    que suas empresas
    ocupam um sólido posicionamento
    competitivo

    18X

    Menor
    time-to-market

    icon-bug

    As organizações
    transformadas têm 18 vezes
    mais chances de tomar decisões
    mais rápidas orientadas por dados

    8X

    Eficiência aprimorada
    dos gastos de TI

    icon-bug

    As organizações
    transformadas têm 8 vezes
    mais chances de concorrer
    com os preços da
    nuvem pública

    6 vezes

    Mais inclusão da TI
    na formulação da
    estratégia de negócios

    icon-bug

    As organizações
    transformadas têm 6 vezes
    mais chances de se envolver
    no desenvolvimento das
    estratégias de negócios

    Diferenciando os níveis de transformação da TI

    O ESG categoriza o nível de transformação da TI de uma empresa ao analisar quão extensivamente ela adotou:

    icon-bug

    Tecnologias de datacenter modernizado — As organizações transformadas tomam medidas como a virtualização de seus servidores. Elas usam o armazenamento totalmente flash conforme apropriado. Elas executam uma parte considerável de suas cargas de trabalho em plataformas de infraestrutura de scale-out e convergente ou hiperconvergente. Elas se comprometem com uma abordagem definida por software para o sistema de rede e o armazenamento. E elas seguem uma estratégia de proteção de dados abrangente e bem testada com as melhores ferramentas disponíveis de backup, desduplicação e arquivamento como sua base.

    icons-maintenance

    Processos de TI automatizados — As organizações transformadas automatizam seus ambientes para poder oferecer ITaaS (IT as a Service, TI como serviço) em um modelo de nuvem e garantir a transparência de custo, a eficiência e a capacidade de resposta. Elas incorporam a automatização para dar suporte à configuração das mudanças de servidor e ao provisionamento do armazenamento. E elas oferecem recursos de autoatendimento para que os usuários finais possam solicitar e gerenciar recursos no local, conforme necessário.

    icons-roadblock

    Dinâmica organizacional transformada — As organizações transformadas acreditam no alinhamento sólido entre os negócios e a TI, e as unidades de negócios inspecionam regularmente a efetividade dos resultados de TI. Os executivos da organização de TI quase sempre se reportam diretamente à equipe de liderança executiva, o que facilita para a TI contribuir para a estratégia empresarial. As organizações Transformadas também adotam com frequência metodologias e princípios de DevOps.

    A curva da maturidade de TI

    É fundamental que as organizações evoluam além da dependência de processos e produtos de TI obsoletos. Mas muitas ainda têm um longo caminho à frente. Para obter uma imagem clara do estado da transformação da TI no mundo todo, a Dell EMC e a Intel® solicitaram ao ESG a criação de um modelo de maturidade baseado em pesquisas e orientado por dados. O modelo define as fases da transformação da TI e determina a extensão na qual as organizações de todo o mundo alcançaram cada fase. A Figura 2 mostra a porcentagem de organizações em cada categoria.

    A tendência é positiva e ela deve se acelerar

    Comparando os resultados de 2018 com os de 2017, parece que as iniciativas de transformação da TI das organizações estão ficando mais maduras. A ascensão fica mais evidente na fase mais atrasada; a proporção de organizações Legadas diminuiu de 12% para 6%. Apesar disso, as organizações totalmente transformadas representam apenas 6% do mercado. Existe um espaço para melhoria, e certamente haverá mais urgência.

    “A transformação é essencial para as empresas que desejam se manter um passo
    à frente de seus concorrentes.”

    — Vice-presidente de TI, empresa de ciências biomédicas com 10.000 funcionários, Fase 4 de maturidade da transformação da TI

    Para avaliar as impressões, o ESG perguntou aos entrevistados se eles concordaram ou não com: “Se não adotarmos a transformação da TI, não seremos um provedor competitivo de serviços de TI para a empresa.” A maioria dos respondentes (69%) concordou com a declaração no ano passado. Este ano, 82% concordaram – um aumento de 13%. Além disso, mais de quatro quintos dos entrevistados disseram que acreditam que a transformação da TI é importante para o sucesso dos negócios em geral

    Mais líderes de TI estão percebendo a importância da transformação em grande parte devido a:

    icon-bug

    Dependência que eles veem entre a transformação digital e da TI. 96% dos entrevistados afirmaram ter iniciativas de transformação digital em andamento – seja na fase de planejamento, no início da implementação, em processo ou amadurecidas. Essas iniciativas estão vinculadas ao progresso da transformação da TI. Os respondentes cujas organizações alcançaram o status de Transformadas têm 16 vezes mais chances de ter projetos maduros de transformação digital em andamento, em comparação às empresas Legadas (66% versus 4%).

    icons-maintenance

    Pressões de time-to-market. 88% dos entrevistados disseram que suas empresas estão sob pressão para entregar produtos e serviços mais rapidamente, o que exige uma abordagem mais ágil de TI. A TI bem-sucedida deve permitir que a organização implemente e dimensione serviços digitais no ritmo dos negócios.

    icons-roadblock

    Um requisito dominante para reduzir os custos. Até mesmo as organizações de TI Transformadas são medidas quanto à manutenção de custos baixos e à conclusão de projetos dentro ou abaixo do orçamento. O sucesso depende da existência de uma infraestrutura confiável, altamente automatizada, fácil de implementar e fácil de gerenciar.

    A pesquisa também mostrou um forte vínculo entre a transformação digital e confiança da empresa. Quando o ESG pediu para que os respondentes caracterizassem o posicionamento competitivo futuro da respectiva empresa de “muito sólido” a “muito fraco”, 84% dos entrevistados com iniciativas maduras de transformação digital em andamento disseram que ocupavam uma posição sólida/muito sólida para competir e ter sucesso. Na verdade, as empresas entrevistadas com iniciativas de transformação digital em andamento têm 2,5 vezes mais chances de assumir uma postura confiante quanto ao próprio posicionamento competitivo do que as empresas que não estão adotando iniciativas de transformação digital (33%).

    Desempenho dos negócios e impulso para o crescimento

    O sólido desempenho dos negócios tem significados diferentes para organizações diferentes. Porém, normalmente, acelerar a inovação, agilizar o desenvolvimento, superar os concorrentes do setor, manter os clientes felizes, reduzir os custos e gerar receita são boas medições.

    Há um vínculo entre a transformação da TI e o desempenho de uma empresa no nível dos negócios. As organizações Transformadas tinham mais do que o dobro de chances de exceder suas metas de receita do ano passado em comparação às organizações Legadas (94% versus 44%). Os respondentes das organizações Transformadas tinham também 2,5 vezes mais chances de acreditar que as respectivas empresas serão extremamente competitivas nos próximos anos em comparação aos respondentes das empresas Legadas (veja a Figura 3). Essas descobertas trazem mais evidências para comprovar que a transformação da TI impulsiona a transformação digital.

    “A transformação da TI é uma filosofia central em nossa empresa há vários anos, e estamos começando a aproveitar os benefícios do aumento da eficiência.”

    — Gerente de TI, empresa de manufatura com 5.000 funcionários, Fase 3 de maturidade da transformação da TI

    Competindo para vencer: Acelerando o time-to-market com mais agilidade da TI

    Em muitas empresas, o tempo necessário para que um produto ou serviço vá do conceito à disponibilidade geral depende muito de quão transformado é o departamento de TI da empresa. O grupo de TI é responsável por garantir que os aplicativos que os funcionários usam sejam executados com confiança. A TI também é responsável por dar aos desenvolvedores as ferramentas e os recursos certos para permitir que eles cumpram todas as datas pretendidas de lançamento dos produtos.

    Quando a TI dá aos usuários finais e parceiros internos o que eles precisam e quando eles precisam, ela também está ajudando a empresa como um todo a dar aos clientes externos o que eles querem e quando eles querem.

    Conforme mencionado, 88% dos respondentes relataram a necessidade de uma mudança em ritmo acelerado. Eles estão alcançando o sucesso? O ESG pediu que os entrevistados caracterizassem a pontualidade das respectivas empresas no desenvolvimento e lançamento de produtos e serviços em relação aos concorrentes. As empresas Transformadas têm 22 vezes mais chances de relatar que estão significativamente à frente da concorrência em comparação às organizações Legadas (veja a Figura 4).

    As organizações Transformadas estão mais aptas a usar tecnologias como a infraestrutura hiperconvergente, que pode ser implementada em horas – em comparação a muitas das infraestruturas de datacenter legadas, que tradicionalmente exigem semanas para serem implementadas. As organizações Transformadas também aproveitam os princípios de DevOps para liberar e iterar aplicativos com mais frequência. E com as operações de TI automatizadas, as organizações Transformadas podem minimizar os erros e atrasos causados pelas pessoas. Todos esses bons resultados são fáceis de observar no nível da TI. Mas impactos posteriores significativos no nível dos negócios também são evidentes (por exemplo, melhoria na tomada de decisões, conclusão de projetos dentro do orçamento e/ou conclusão mais rápida de tarefas).

    “A transformação da TI se tornou agora uma parte muito importante de qualquer empresa, e as empresas retardatárias serão definitivamente deixadas para trás.”

    — Diretor de TI, organização de varejo com quase US$ 1 bilhão em receita anual, Fase 2 de maturidade da transformação da TI

    Usando dados para orientar a tomada de decisões

    Obviamente, as empresas não conseguem lançar os produtos no mercado com velocidade e agilidade quando elas não tomam decisões inteligentes. O ESG pediu para que os entrevistados classificassem a respectiva empresa quanto à eficiência no uso de dados para tomar decisões melhores e mais rápidas de estratégia de negócios em relação à concorrência. Os respondentes das empresas Transformadas tinham 18 vezes mais chances que as das organizações Legadas (72% versus 4%) de afirmar que a empresa quase sempre toma decisões melhores e mais rápidas orientadas por dados.

    Essa conquista se concentra no aproveitamento eficiente dos dados de negócios e de aplicativos. Em especial, o ESG descobriu que até mesmo as empresas Em evolução estão consideravelmente atrasadas nesse aspecto, com apenas 24% dessas empresas relatando o mesmo nível de sucesso (veja a Figura 5). Aparentemente e de modo geral, somente as empresas mais Transformadas realmente se sentem confiantes quanto à capacidade de processar, analisar e aproveitar os dados ao determinar o curso de seus negócios.

    icon-bug

    Implementação pontual de aplicativos

    Em um aspecto semelhante, o ESG observou os prazos sob os quais as organizações operam durante a implementação de aplicativos aos respectivos usuários finais internos e clientes, um trabalho que normalmente abrange a instalação, a integração, o provisionamento e a configuração da infraestrutura — e que pode ser simplificado pela automatização. As empresas transformadas mostraram um desempenho muito forte aqui: elas tinham quase 10 vezes mais chances de relatar que a maioria de suas implementações de aplicativos acontece antes do programado, em comparação aos entrevistados das organizações legadas (69% versus 7%).

    icons-maintenance

    Mantendo os projetos de TI dentro do prazo

    Revisitando um resultado de 2017, o ESG pediu que os entrevistados avaliassem quantos projetos e iniciativas de TI executados nos últimos anos foram concluídos antes, durante ou após a programação.

    Quanto mais uma empresa avança em sua jornada de transformação, maior a proporção de projetos que são concluídos antes da programação (em média). Especificamente, as organizações Transformadas relataram que concluíram, em média, mais do que o triplo de seus projetos de TI antes da programação nos últimos anos em comparação às organizações Legadas (34% dos projetos em média versus 10%).

    icons-roadblock

    Tempo para provisionar VMs

    O tempo necessário para provisionar VMs (Virtual Machine, máquina virtual) é uma medida tática, mas relevante, que está vinculada à agilidade. Ela é certamente uma prioridade para os profissionais de TI, considerando que a VM se tornou um componente modular central do ambiente de TI moderno.

    O ESG perguntou aos respondentes quanto tempo eles levam para ativar a rotação de uma máquina virtual a partir do momento em que recebem a solicitação. Os entrevistados das empresas Transformadas têm mais do que 4 vezes mais chances de afirmar que atendem às solicitações de provisionamento de VMs em menos de 4 horas em comparação às organizações Legadas (33% versus 8%).

    Oferecendo retorno comercial: a economia da TI

    As organizações de TI sempre precisaram operar de modo eficiente e com o menor custo possível. A pesquisa mostra que as organizações que progrediram mais rapidamente ao longo da curva de maturidade da transformação da TI estão consistentemente alcançando mais eficiência nos gastos em comparação às organizações menos maduras.

    Este é um resultado extremamente promissor. Afinal, reduzir os custos operacionais de TI de rotina pode permitir que as organizações financiem novas iniciativas de transformação digital essenciais aos negócios.

    Projetos de TI abaixo, dentro e acima do orçamento

    O ESG perguntou aos entrevistados qual era a porcentagem de seus projetos de TI que foram concluídos abaixo, dentro ou acima do orçamento nos últimos anos. Os respondentes das organizações transformadas disseram que estão concluindo 14% mais projetos de TI abaixo do orçamento em comparação às empresas legadas (em média, 27% dos projetos versus 13%, mais que o dobro de projetos).

    É interessante observar também que, aparentemente, essa tendência está se fortalecendo. Em 2017, a lacuna foi de apenas 10%, com as empresas transformadas relatando a conclusão de 25% de seus projetos de TI abaixo do orçamento versus 14,9% nas empresas legadas.

    Inovação versus continuidade das operações

    O ESG pediu para que os entrevistados dividissem o orçamento de TI em duas categorias: orçamento para novos projetos ou iniciativas e orçamento para manter os sistemas e serviços existentes. Em média, as organizações transformadas gastam 47% do respectivo orçamento de TI anual em inovação. As empresas Legadas, por outro lado, gastam apenas 30% (veja a Figura 6).

    Novamente, há uma distinção clara em 2018 entre as organizações legadas e transformadas. No estudo de 2017, as empresas transformadas alocavam, em média, 12% a mais do orçamento de TI anual para a inovação em comparação ao delta de 17% de 2018.

    O ESG entende esse resultado como outra comprovação do aumento do valor associado à busca da transformação completa da TI.

    Alocação da equipe de TI

    As organizações Transformadas não precisam gastar tanto tempo para manter a infraestrutura existente. Elas também podem movimentar a equipe das operações clássicas de TI, como implementação da infraestrutura, gerenciamento e monitoramento, para atividades de mais valor, como planejamento estratégico, arquitetura e desenvolvimento de aplicativo. A pesquisa do ESG revela que, em média, as empresas Transformadas conseguem movimentar 12% a mais da respectiva equipe de TI para atividades de mais valor.


    Mas o que isso significa sob o ponto de vista do mundo real?

    Considere uma empresa de 7.100 profissionais com uma equipe de TI composta por 355 funcionários em tempo integral. Se esta é uma empresa Legada na Fase 1, 178 dos membros dessa equipe existem apenas para manter a continuidade das operações.

    Se esta é uma empresa Transformada na Fase 4, esse número cai para 137 – com 41 profissionais pessoalmente dedicados aos esforços estratégicos, como planejamento, desenvolvimento de aplicativo, aprimoramento da arquitetura e transformação digital.

    O efeito da mudança dos gastos de TI da manutenção3 para a inovação é significativo. As organizações Transformadas deste estudo têm um orçamento de TI anual médio de US$ 380 milhões. Se elas alocassem esse dinheiro exatamente como faz uma organização Legada (isto é, gastando 70% dele para manter os sistemas existentes), elas teriam apenas US$ 115 milhões restantes anualmente para investir em novos projetos.

    Mas graças a suas operações eficientes, as organizações Transformadas têm conseguido criar ambientes menos caros de manter. Como resultado dessa estrutura de custo aprimorada, as organizações médias Transformadas estão alocando US$ 179 milhões para novos projetos. Em outras palavras, elas estão financiando US$ 64 milhões a mais em inovação.

    Competitividade de custo em comparação à nuvem pública

    O ESG viu uma grande diferença na percepção dos entrevistados sobre quão financeiramente competitiva é a respectiva infraestrutura de computação local em comparação a um serviço em nuvem pública. Dois terços dos respondentes que trabalham em empresas Transformadas acreditam que a infraestrutura de TI é altamente competitiva – em outras palavras, é tão boa quanto ou ainda melhor do que uma nuvem pública em termos de custo operacional. Na verdade, esses respondentes tinham mais do que oito vezes mais chances de relatar a existência de infraestruturas com preços competitivos no local em comparação aos respondentes das organizações legadas (veja a Figura 7).

    As empresas transformadas tinham até o dobro de chances de apresentar infraestruturas no local com preços competitivos em comparação às empresas em evolução, o que comprova mais uma vez que empregar o esforço necessário para a transformação total vale a pena. Faça tudo corretamente e siga a receita até o final; os benefícios virão.

    Operando um ambiente local a preços competitivos, as organizações Transformadas têm mais opções para aproveitar a nuvem pública onde ela faz sentido e, ao mesmo tempo, manter outras cargas de trabalho no local, caso elas sejam melhores atendidas pelo desempenho e controle locais. E elas fazem isso sem incorrer em custos incrementais.

    3 A manutenção inclui a administração do sistema e outros custos operacionais, como energia, refrigeração e manutenção de software.

    “Vemos a transformação da TI como uma fonte de lucro para nossa empresa.”

    — Vice-presidente de TI, empresa de serviços de negócios com 500 funcionários, Fase 3 de maturidade da transformação da TI

    Gastos de TI por aplicativo essencial aos negócios

    As empresas Transformadas executam um número maior de aplicativos essenciais e, geralmente, têm ambientes de TI mais sofisticados. No entanto, elas gastam menos por aplicativo do que suas equivalentes. O ESG observou essa tendência na pesquisa de 2017. E, em 2018, as diferenças nos gastos parecem ainda mais drásticas.

    Para normalizar as despesas independentemente do porte da organização, o ESG dividiu os orçamentos de TI dos participantes pelo número de aplicativos essenciais aos negócios que eles gerenciam (veja a Figura 8). As organizações Transformadas gastam 62% menos por aplicativo do que as empresas Legadas, 34% menos do que as empresas Emergentes e 16% menos do que as empresas Em evolução.

    Em geral, as organizações Transformadas estão gastando 31% menos por aplicativo do que as empresas em outras fases. No ano passado, as empresas Transformadas gastaram 14% menos.

    Aparentemente, ao usarem de modo extensivo a automatização e as soluções avançadas de TI (bem como aprimorando a inteligência sobre a estrutura organizacional), as empresas Transformadas têm desvendado grandes economias e não precisam gastar tanto na manutenção de rotina de seus ambientes.

    VMs por Server Administrator

    As empresas Transformadas têm muito mais vantagem em termos de produtividade do funcionário.

    O ESG perguntou aos entrevistados quantas VMs eles gerenciavam e quantos server administrators havia na respectiva equipe. Em conjunto, essas informações revelaram uma imagem clara: os administradores nas organizações transformadas estão gerenciando muito mais VMs. Especificamente, os administradores nas organizações Legadas gerenciam uma média de 132,6 VMs, mas os administradores nas empresas Transformadas gerenciam 241,5 VMs. Isso parece outra comprovação do valor gerado pelos altos níveis de automatização e excelência operacional.

    Alinhando a TI aos negócios

    Chegará um dia (ele já chegou em alguns setores e organizações) em que a TI se tornará o motor principal dos negócios. Em outras palavras, ela será essencialmente a empresa. Por ora, muitos departamentos de TI ainda estão se transformando para serem parceiros melhores para os negócios. Estabelecer parcerias eficazes é algo que qualquer líder de TI estratégico busca e, muitas vezes, é formalmente incentivado a alcançar.

    Examinando as medidas de eficácia da TI de acordo com a fase de maturidade da transformação da TI dos entrevistados

    As medidas de sucesso da TI nas organizações Transformadas são diferentes. Essas organizações de TI são mais frequentemente avaliadas com base no impacto sobre os negócios e menos frequentemente quanto à capacidade de reduzir custos. A redução de custos continua a ser vital, mas 38% das organizações Transformadas relatam a melhoria de custo entre suas principais medidas de sucesso em comparação a 49% das empresas Legadas.

    Os líderes de negócios das empresas Transformadas colocam mais ênfase para avaliar como o grupo de TI dá suporte aos novos fluxos de receita. 31% das organizações de TI Transformadas citam isso como uma medição superior em comparação a apenas 13% das empresas Legadas.

    Conforme as organizações avançam rumo à transformação, aumenta a probabilidade de elas serem julgadas quanto ao suporte dado aos esforços de geração de receita, provavelmente porque elas já provaram que compreendem a otimização do orçamento. Para qualquer executivo de TI que busca algo mais ambicioso do que o “controle de custo”, o apelo da transformação da TI deve ser claro.

    “As organizações precisam evoluir para enfrentar o ambiente dinâmico dos negócios. Os líderes de negócios querem que a TI se concentre em resultados de negócios, inovação e melhoria contínua.”

    — Vice-presidente de TI, empresa de varejo com 5.000 funcionários, Fase 3 de maturidade da transformação da TI

    Envolvimento da TI com a estratégia dos negócios

    O ESG testou a ideia de que os líderes de TI que trabalham na vanguarda das empresas Transformadas sejam “convidados à mesa” mais cedo e com mais frequência para trazer novos dados que ajudarão na tomada de decisões estratégicas de negócios. Os resultados confirmaram definitivamente esse conceito.

    Como mostra a Figura 9, os grupos de TI das empresas Transformadas têm seis vezes mais chances de participar do desenvolvimento da estratégia de negócios em comparação com seus equivalentes nas empresas Legadas (60% dos entrevistados versus 9%). Por outro lado, os departamentos de TI das organizações Legadas estão mais aptos para entrar em cena posteriormente de modo a confirmar se uma estratégia de negócios já determinada será tecnicamente viável.

    Esse resultado deve ser uma grande motivação para CIOs e outros gerentes de TI que buscam se envolver mais profundamente na administração de suas empresas. A transformação da TI é um meio para o CIO influenciar a direção estratégica.

    Como a liderança executiva avalia a eficácia da organização de TI

    O ESG perguntou a todos os 4.000 entrevistados como a respectiva empresa mede o sucesso da organização de TI. Respondentes em todos os níveis de maturidade da transformação da TI relataram que a redução de custo (42%) e a entrega de projetos dentro do orçamento/prazo (35%) foram as medidas usadas com mais frequência. Outras medidas incluíram níveis de satisfação do usuário (34%) e a capacidade de promover melhorias nos processos de negócios (32%), assegurar o tempo de funcionamento dos aplicativos (29%) e habilitar novos fluxos de receita (25%).

    “A TI está profundamente arraigada em todos os aspectos de nossos negócios e, a menos que ela seja constantemente transformada, nossa competitividade não pode ser mantida.”

    — Gerente de TI, empresa de mídia com mais de US$ 1 bilhão em receita anual, Fase 2 de maturidade da transformação da TI

    Cooperação entre TI e linha de negócios

    Os entrevistados descreveram o grau de cooperação e colaboração que acreditam existir entre o departamento de TI e as linhas de negócios. Os responsáveis pelas decisões nas empresas Transformadas tinham mais de 18 vezes mais chances de relatar altos níveis de cooperação em relação às organizações Legadas (74% dos entrevistados versus 4%). Este é o segundo ano que o ESG fez a mesma pergunta, e o delta entre as empresas Legadas e Transformadas está se expandindo. Em 2017, foram 60%.

    A TI como diferencial competitivo

    O ESG também perguntou aos respondentes como outras unidades de negócios de suas empresas veem a organização de TI. Apenas 6% das organizações Legadas disseram que outras linhas de negócios veem a função da TI como um diferencial competitivo. Entre as empresas Transformadas, 31% veem o mesmo. Esse é um contraste nítido – as organizações de TI Transformadas têm mais do que cinco vezes mais chances de serem vistas pela liderança sênior e outros participantes importantes da empresa como um diferencial competitivo para os negócios (veja a Figura 10).

    A grande verdade

    Nesse ponto, o mundo corporativo aceitou com entusiasmo que a transformação digital é valiosa para empresas e clientes. Os dados da pesquisa do ESG apoiam essa posição.

    Algumas organizações de TI utilizaram amplamente processos e tecnologias de infraestrutura para torná-los mais ágeis, flexíveis, inovadores, orientados ao usuário e focados no cliente. Em outras palavras, elas estão participando da transformação da TI e, dessa forma, estão mudando o conceito da transformação digital: de “ideal” para “real”.

    “A transformação da TI significa conseguir transformar uma organização menos flexível em uma equipe mais ágil e proativa, que pode responder rapidamente às necessidades dos negócios.”

    — CIO, empresa de varejo com mais de US$ 5 bi em receita anual, Fase 4 de maturidade da transformação da TI

    Esses líderes implementam arrays totalmente flash de alto desempenho para dar suporte a quantidades maiores de aplicativos cada vez mais dependentes de desempenho. Eles utilizam arquiteturas scale-out conforme as soluções de scale-up ficam obsoletas e implementam plataformas convergentes e hiperconvergentes para acelerar a implementação e reduzir a carga de gerenciamento. Eles incorporam soluções de Software-Defined Networking e Software-Defined Storage para adicionar flexibilidade a seus ambientes e, ao mesmo tempo, reduzir os custos. Eles implementam servidores de alto desempenho para executar cargas de trabalho de última geração e implementam soluções abrangentes de proteção de dados para garantir a disponibilidade ininterrupta. Eles adicionam a automatização para a elasticidade de recursos e habilitam o provisionamento com autoatendimento para proporcionar aos usuários uma experiência semelhante à da nuvem pública. E eles asseguram que a comunicação entre a TI e os participantes da empresa seja significativa para gerar resultados.

    Como demonstra esta pesquisa, esta não é uma transformação em benefício próprio. Os fatores que estabelecem coletivamente o status da transformação da TI de uma empresa, ou seja, sua posição na curva de maturidade de transformação da TI do ESG, são inúmeros e diversificados. Mas eles compartilham um tema – quando considerados juntos, eles se correlacionam solidamente à uma operação econômica, produtiva e responsiva. Essas conquistas podem ajudar qualquer organização a inovar e superar em desempenho seus concorrentes.

    Avalie sua própria maturidade da transformação da TI

    Para proporcionar uma maior maturidade da transformação da TI, primeiro você deve entender a situação atual da sua organização. A Dell EMC, a Intel® e o ESG disponibilizaram uma avaliação on-line interativa baseada nesta pesquisa. Essa ferramenta gratuita e sem complicações permitirá que você veja qual é sua situação em relação a seus pares e ajudará a entender seus pontos fortes e fracos. Você também receberá um plano de ação em diagrama com as etapas que você pode seguir hoje para ajudar a transformar sua organização.

    Inicie a jornada rumo à transformação de sua organização de TI, acelerando o ritmo de inovação e impulsionando ainda hoje as iniciativas de transformação digital do futuro.

    Dell EMC
    Intel

    Metodologia de pesquisa

    Para coletar dados para esse relatório, o ESG conduziu uma abrangente pesquisa on-line com executivos de TI de organizações dos setores público e privado de 16 países: EUA (13%), Canadá (3%), Reino Unido (13%), França (10%), Alemanha (13%), Itália (2%), Países Baixos (1%), Rússia (1%), Austrália/Nova Zelândia (6%), Japão (12%), China (3%), Índia (10%), Hong Kong (3%), Brasil (5%) e México (6%). A pesquisa foi realizada entre 19 de setembro de 2017 e 6 de novembro de 2017.

    Para se qualificar para esta pesquisa, os entrevistados precisavam ter conhecimento dos planos de orçamento e gastos de TI atuais e futuros e estar envolvidos nos processos de compra de infraestrutura (ex.: armazenamento, servidores, rede, virtualização e/ou proteção de dados) de suas organizações.

    Depois de filtrar os entrevistados não qualificados, remover as respostas duplicadas e fazer uma triagem das respostas restantes (sob diversos critérios) para garantir a integridade dos dados, restou uma amostra final de 4.000 entrevistados.

    Todos os entrevistados receberam um incentivo para responder à pesquisa na forma de prêmios em dinheiro e/ou equivalentes a dinheiro. Obs.: os totais representados em números e tabelas neste relatório não podem somar 100% devido ao arredondamento.

    Para calcular os níveis de maturidade, o ESG faz perguntas a cada entrevistado sobre o respectivo ambiente de TI e seus processos – alocando um número correspondente de pontos de maturidade para cada pergunta e resposta. A soma dos pontos representa a pontuação de maturidade total da organização.

    Cada organização pode acumular de 0 a 100 pontos. Aquelas com 0 a 25 pontos foram classificadas como organizações na Fase 1 (ou Legadas). As que conquistam de 25,5 a 50 pontos são organizações na Fase 2 (ou Emergentes). Quando elas obtêm de 50,5 a 75 pontos, são classificadas como organizações na Fase 3 (ou Em evolução) e quando obtêm de 75,5 a 100 pontos, eles estão na Fase 4 (ou Transformadas).

    Critérios para avaliar a maturidade da transformação da TI das organizações entrevistadas

    O modelo de maturidade do ESG determinou a maturidade da transformação da TI das organizações com base nas respostas dos entrevistados a um subconjunto de perguntas incluídas em mais de 60 perguntas da pesquisa. As figuras a seguir detalham essas perguntas.















    Dados demográficos dos entrevistados

    Os dados apresentados neste relatório são baseados em uma pesquisa com 4.000 entrevistados qualificados. Os números a seguir detalham os dados demográficos da base de entrevistados, inclusive as atuais responsabilidades individuais de trabalho dos entrevistados, bem como o número total de funcionários das organizações entrevistadas, o setor principal e a receita anual.






    Todas as marcas comerciais são propriedade de suas respectivas empresas. As informações contidas nesta publicação foram obtidas de fontes que o ESG considera confiáveis, mas não são garantidas pelo ESG. Esta publicação pode conter opiniões do ESG, que estão sujeitas a mudanças de tempos em tempos. Esta publicação é protegida por direitos autorais do The Enterprise Strategy Group, Inc. Qualquer reprodução ou redistribuição integral ou parcial desta publicação, seja em formato impresso, eletrônico ou em qualquer outro formato, para pessoas não autorizadas a recebê-la e sem o consentimento expresso do The Enterprise Strategy Group, Inc. representa uma violação da lei de direitos autorais dos Estados Unidos e estará sujeita a uma ação por danos civis e, se aplicável, a processo criminal. Em caso de dúvida, entre em contato com o departamento de atendimento ao cliente do ESG nos Estados Unidos pelo telefone +1 (508) 482-0188.

    Logo

    © 2018 por The Enterprise Strategy Group, Inc. Todos os direitos reservados.